Romaria às Almas Santas da Areosa Imprimir e-mail

A Romaria às Almas Santas da Areosa é uma das mais importantes e antigas do concelho de Águeda.

Tem a sua realização sempre no Domingo de Pascoela, o Domingo a seguir ao Domingo de Páscoa.

Esta Romaria acontecia em dois dias; no primeiro, no Domingo de Pascoela, depois de uma pequena celebração na Igreja Matriz, iniciava-se a Procissão até à Capela das Almas, onde era celebrada Eucaristia de Festa, seguindo-se depois a Procissão dos Romeiros; na Segunda-feira, era o regresso à Igreja Matriz, terminando assim a Romaria.

Esta Romaria, como todas as romarias, tinha como principais romeiros, os agricultores da zona da Bairrada. É uma das poucas romarias primaveris da região; os agricultores vinham agradecer as sementeiras já feitas e pedir boas colheitas nesse ano. O seu transporte era feito nos carros de bois enfeitados para a Romaria, onde transportavam também os seus farnéis. As promessas eram cumpridas dando diversas voltas à Capela com os carros de bois; depois, os romeiros instalavam-se nos pinhais circundantes com os seus farnéis, onde faziam as suas refeições e confraternização.

Por esse motivo, a Capela era juncada com Rosmaninho, Erva-Doce e Junco, por uma questão de higiene e limpeza.

Os tempos mudam e mudaram.

Neste momento, os Romeiros já utilizam outros meios de transporte. Por outro lado, a Romaria deixou de ser feita em dois dias, para ser uma semana, o que quer dizer que o regresso à Igreja Matriz é feito no 3º Domingo da Páscoa, terminando assim a Romaria.

Se no passado a excelência da Romaria era a parte religiosa, com as procissões e as celebrações, hoje a prioridade passa pelos arraiais diurnos e nocturnos, fruto também dos tempos que vamos vivendo.

Desde alguns anos a esta parte, mercê da boa vontade de algumas pessoas e dado que no Concelho existem muitos Centros de Dia e Lares de Terceira Idade, na Segunda-feira da Romaria às Almas criou-se um espaço de “Romaria dos Idosos”, com Eucaristia pelas 15 horas, seguindo-se um pequeno convívio. No início, o convívio foi oferecido por algumas pessoas de boa vontade. Hoje, as próprias Instituições de Solidariedade Social já trazem os seus farnéis para que os Idosos possam recordar o tempo em que aqui se deslocavam e confraternizavam.

 

 

 

 
Artigo seguinte >