Plano Nacional de Catequese Imprimir e-mail

“A finalidade específica da catequese, no entanto, não deixa de continuar a ser a de desenvolver, com a ajuda de Deus, uma fé ainda inicial. A de promover em plenitude e de alimentar quotidianamente a vida cristã dos fiéis de todas as idades. Trata-se, com efeito, de fazer crescer, no plano do conhecimento e da vida, o gérmen de fé semeado pelo Espírito Santo, com o primeiro anúncio do Evangelho, e transmitido eficazmente pelo Baptismo.

A catequese, portanto, há-de tender a desenvolver a inteligência do mistério de Cristo à luz da Palavra, a fim de que o homem todo seja por ele impregnado. Deste modo, transformado pela acção da graça em nova criatura, o cristão põe-se a seguir Cristo e, na Igreja, aprende cada vez melhor a pensar como Ele, a julgar como Ele, a agir em conformidade com os seus mandamentos e a esperar como Ele nos exorta a esperar.

Mais precisamente, a finalidade da catequese, no conjunto da evangelização, é a de construir a fase de ensino e de ajuda à maturação do cristão que, depois de ter aceitado pela fé a Pessoa de Jesus Cristo como único Senhor e após ter-Lhe dado uma adesão global, por uma sincera conversão do coração, se esforça por melhor conhecer o mesmo Jesus Cristo, ao qual se entregou: conhecer o seu «mistério», o Reino de Deus que Ele anunciou, as exigências e promessas contidas na sua mensagem evangélica e os caminhos que Ele traçou para todos aqueles que O querem seguir.

Se é verdade, portanto, que ser cristão significa dizer «sim» a Jesus Cristo, convém recordar que tal «sim» se situa a dois níveis: consiste, antes de mais, em abandonar-se à Palavra de Deus e apoiar-se nela; mas comporta também, num segundo momento, o esforçar-se por conhecer cada vez melhor o sentido profundo dessa Palavra.” (CT, 20, João Paulo II)

“…Em vista de dificuldades práticas, há algumas características desse ensino que convém pôr em evidência. Assim, deve ser:

— Um ensino sistemático; não algo improvisado, mas que siga um programa que lhe permita alcançar um fim determinado;

— Um ensino que se concentre no essencial, sem ter a pretensão de tratar todas as questões disputadas, e sem se transformar em investigação teológica, ou em exegese científica;

— Um ensino suficientemente completo, todavia, para que não se contente com ser apenas primeiro anúncio do mistério cristão, como aquele que podemos ter no «kerigma»;

— Uma iniciação cristã integral, aberta a todas as outras componentes da vida cristã.” (CT, 21, João Paulo II)

   

 

INFÂNCIA

 

                1ª ETAPA – Inserção na Comunidade

 

1º Ano

JESUS GOSTA DE MIM

Festa do Acolhimento

2º Ano

ENSINA-NOS A REZAR

Festa do Pai-Nosso

3º Ano

EM TI, VIVEMOS

Festa da Eucaristia

 

                2ª ETAPA – A Vida na Fé

 

4º Ano

AO ENCONTRO DE JESUS

Entrega da Bíblia

5º Ano

À DESCOBERTA DO PAI

Entrega do Credo

6º Ano

NA FORÇA DO ESPÍRITO

Festa da Fé

 

 

 

ADOLESCÊNCIA

 

3ª ETAPA – Sentido Cristão da Vida

 

7º Ano

PROJECTO MAIS

Bem-aventuranças

8º Ano

SOMOS MAIS

Festa da Vida

 

                4ª ETAPA – Compromisso Cristão

 

9º Ano

O DESAFIO DE VIVER

Celebração de Compromisso

10º Ano

A ALEGRIA DE CRER

Festa do Envio

 

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >